Um Minuto de Silêncio

0
Crianças e Jovens
0
Escolas, organizações e movimentos envolvidos
0
Diferentes Concelhos e Ilhas

ConvidamosPresidente da RepúblicaPrimeiro MinistroAssembleia da RepúblicaPresidentes Câmaras Presidentes FreguesiasCada um de nós...ao Minuto de Silêncio

22 maio 2019Portugalmostra a sua Gratidão à TERRA

Vamos agradecer à Terra, por tudo o que nos dá para viver!

 

 

PASSO 1:  Inscreve-te e Junta-te à Iniciativa

Mobiliza o teu grupo e contacta-nos....

PASSO 3:  Faz  os Móbiles de Tsurus 
Colocando a intenção da Gratidão à TERRA por tudo o que nos dá...
PASSO 5: dia 22 Maio faz acontecer e celebra

Oferece os Móbiles e convida ao Minuto de Silêncio ...

PASSO 2:  Agenda com o Presidente da Câmara Municipal

Para uma oferta e convite ao Minuto de Silêncio, no dia 22 de maio...

PASSO 4:  Envolve outros e convida a participar..

Fala aos amigos, à comunicação social local e redes sociais...

1 Móbile* 1 Intenção* GRATIDÃO

... à TERRA... a nós... aos que nos rodeiam.

Conheces a lenda dos 1000 Tsurus?

Sadako Sasaki tinha apenas 2 anos quando a bomba atómica foi lançada sobre Hiroshima, no Japão, em agosto de 1945. Ela não se feriu e levou uma vida normal, inclusive praticando atletismo.

Em 1955, com 12 anos, após participar de uma prova de corrida, sentiu cansaço e tonturas. O mal estar não passou nos dias seguintes. Levada ao hospital, foi diagnosticada com a “doença da bomba atómica”, a leucemia.

A sua melhor amiga, Chizuko, foi visitá-la levando papéis de origami e contou para Sadako a lenda dos mil tsurus. Chizuko explicou que o tsuru era uma ave sagrada, que vivia mil anos e que, se uma pessoa dobrasse mil aves de papel, teria um desejo concedido.

Sadako cultivou a esperança de que os deuses lhe concederiam a cura e então passou a fazer os origamis com ajuda de sua família e amigos que iam visitá-la no hospital. Ela morreu em 25 de outubro de 1955, antes de completar os mil tsuru.

O mais importante é que Sadako nunca desistiu e fez tsurus enquanto pôde.

Inspirados na sua coragem e força, os seus amigos montaram e publicaram um livro com as cartas escritas por ela. Dessa forma, eles começaram o sonho de construir um monumento para Sadako e para todas as crianças que morreram em consequência da bomba atómica. Solidários com a causa, muitos jovens japoneses passaram a angariar dinheiro para o projeto.

Em 1958, a estátua de Sadako segurando um tsuru dourado foi construída no Parque da Paz em Hiroshima. Crianças envolvidas na campanha fizeram um desejo que ficou escrito para sempre na estátua: "Este é o nosso grito. Esta é a nossa reza. Paz no mundo!"

Porquê fazer os Móbiles de Tsurus?

Tsuru é uma ave sagrada do Japão.

Simboliza a saúde, a sorte, a felicidade, a longevidade e a paz. . Diz a lenda japonesa que se fizermos 1000 tsurus, usando a técnica do origami (arte secular de dobrar o papel), com o pensamento voltado para um desejo, ele poderá  realizar-se.
Este ano, oferecendo um móbile de tsurus e fazendo UM Minuto de Silêncio homenageamos a Terra expressando Amor e Gratidão. 

Um Tsuru com intenção?

Ao realizar um Tsuru colocando a intenção da gratidão, queremos resgatar a generosidade, que é um acto de amor e gentileza, e uma vez experienciado contribui para o reforço da conexão Mente - Coração e para o aumento dos nossos níveis de bem-estar e felicidade e por acréscimo, de quem nos rodeia.

O nosso convite é que a nível nacional façamos móbiles de tsurus, sendo eles entregues a diferentes representantes nacionais (Presidente da República, Primeiro Ministro e Presidente da Assembleia da República) e locais (Presidentes das Câmaras Municipais ou das Juntas de Freguesia), convidando-os a UM Minuto de Silêncio de Gratidão à TERRA.

Através do vídeo e dos passos desenhados, podes aprender a fazer os tsurus.

A gratidão não é apenas a maior das virtudes, mas a mãe de todas as outras.

Cícero

Respira serenamente...
com Atenção... com Intenção...
GRATIDÃO à TERRA 

logo.png
Copyright © Fazedores de Mudança 2019. Todos os direitos reservados.

Search